Planeta, a Terra – Cidade: (só?) Tóquio. SPECTREMAN!

Prof. Eduardo Rosa de Almeida [2]

 

         Planeta, a Terra; cidade Tóquio. Como todas as metrópoles, Tóquio é constantemente ameaçada pelos perigos causados pela poluição. E apesar dos esforços de todo o mundo, haverá um dia em que a terra, o ar e as águas se tornarão letais para toda e qualquer forma de vida. Quem poderá intervir? SPECTREMAN, TREMAN, TREMAN!!!!!!!!! [1]

         Mais ou menos com essas palavras iniciava o seriado japonês que “povoava” nosso imaginário infantil. Lembramos saudosos dos combates entre o protagonista SPECTREMAN (seria uma ofensa escrever com maiúscula e minúsculas) e os antagonistas “monstros de lixo” mirabolantemente enviados pela dupla macaca, Dr. Gori e o ajudante atrapalhado Karas (assim mesmo, com K). Apesar de serem combates e, por tal razão, conterem a inerente violência, eram travados por uma causa nobre: a preservação do Planeta e dos recursos naturais. Os nomes dos monstros? Eram sempre algo como “Lixotron” ou coisa que o valha.

         Sim, de fato SPECTREMAN, com seu poderoso e fatal “SPECTRE-FLASH”, foi nosso herói. Há quem diga não ser bem assim, pois ideologias negativas estariam implicitamente contidas no referido seriado. No entanto, é inerente ao artístico (considerado em sentido amplo) a plurissignificação e, assim sendo, a depreciação sugerida perderia totalmente o valor ante ao nosso já não mais pueril pensar. Ironicamente, a advertência de abertura, comum a cada episódio, tem-se tornado cada vez mais verdadeira nos dias de hoje.

         É pelo progresso! Ah…o progresso…

         Qualidade de vida? Em nossas metrópoles?

         Absurdo crescimento populacional, aumento descontrolado (e mascarado) de indústrias, emissão absurda de gases tóxicos na atmosfera, contaminação dos mananciais de água, descarte inadequado de toneladas de lixo (a inteligente coleta seletiva ainda é ínfima se comparada ao absurdo montante produzido), desmatamento, queimadas e destruição do solo, buraco na Camada de Ozônio, aumento da temperatura global da Terra. Nesse sentido, Karas e Dr, Gori já estariam desempregados!

         Absurdamente, por ganância, por egoísmo e por outras razões mundanas, criamos nossos próprios monstros. Parece-nos que os cientistas deveriam preocupar-se mais com QUEM SOMOS (realmente) e DE QUE FORMA nossos descendentes irão sobreviver. Bilhões e bilhões são gastos em pesquisas espaciais por alguns governos na vã tentativa de descobrir um planeta que disponha de condições necessárias à existência humana. Nem o mais “desligado” ser é tão ingênuo a ponto de não perceber o real motivo.

         Ultimamente, nas férias de verão, tivemos a singular oportunidade de conhecer um lugar FANTÁSTICO (também seria ofensa grave escrever com minúsculas). Tal lugar fica aqui mesmo, no Brasil, mais especificamente na Ilha Grande, Rio de Janeiro. Natureza farta, praias paradisíacas, água realmente inodora, insípida e incolor. E o ar? Ah, o ar… era de uma pureza tamanha (lá somente há o carro dos bombeiros e o da polícia, que quase não são utilizados) que, ao voltar à terra firme (Angra dos Reis), começamos a sentir o cheiro forte da gasolina, uma ardência no nariz e, consequentemente, iniciaram-se os espirros.

         Igualmente singular é um cara (verdadeiro SPECTREMAN) que lá habita. Interessantíssima e também plausível é a tese por ele mencionada em que, sinteticamente, questionou “Será que o ser humano não teria esgotado os recursos de todos os outros planetas do Sistema Solar, sendo, portanto, a Terra nossa última chance???”

         Perplexos hoje, diante de uma situação que beira o inóspito, clamamos pelo nosso SPECTREMAN na esperança de que possa salvar esse “mundo-lixo” e repleto de Karas e Drs. Goris. Quanto custará, num futuro bem próximo, uma máscara de oxigênio? Qual será o preço da “água virtual” (se é que o possível líquido servirá para saciar a sede)? Quanto custará a super-roupa protetora? O que comeremos?

         Para quem teve a ímpar oportunidade de assistir aos episódios nos quais o SPECTREMAN estava fraco (por alguma maquinação do Karas e do Dr. Gori) e compreendeu nossa simples e honesta intenção…

[3] Dominantes? Às ordens!                Dominantes? Às ordens!

 Dominantes?                                   Dominantes?

 D     O     M     I     N     A     N     T     E     S!!!!!!!!!!!!!!

 


[1] – Spectreman foi um seriado japonês criado por Souji Ushio  e exibido na TV brasileira de 1981 a 1983 (pela Rede Record) e de 1983 a 1990.

[2] – Professor de Língua Portuguesa do Ensino Médio do Colégio João XXIII.

[3] – “Dominantes? Às ordens! (Solicitação proferida pelo humano Kenji – Tetsuo Narikawa – para se transformar em Spectreman).


Assista a abertura do seriado Spectreman no Youtube.

 

Imagem em destaque coletada do site Living+Nomads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: