Entre o sono e tombo

Entre o sono e tombo

Entre as curvas da reta

Sempre discreta

Pra não deixa escapar, todas minhas ideias

Tudo que passa aqui dentro

É pesado e lento, as paranoias

Se desenrolam se embolam

E no fim sempre acabam

Largando da minha mente,

Ideia inteligente,

Papo pra frente, de gente

Que gosta de gente

O mundo do sistema

Tá dando só problema

Com todos esses emblemas

E esse ódio, vejo em cenas

Pagar por tua saúde e agonizar em fila de hospital

Me desculpe, mas isso não é normal

Greve geral

Governo ocidental

Onde pra ser livre se precisa de aval

Cai na real, esse é o final

Os proprietários privados são o ponto fatal

Ei, moço onde tá meu jornal?

Quero mudar de canal

Não se preocupe, vou pagar com meu salário mensal!

Trabalhador não se iluda!

Não perca sua conduta

Ouvi dizerem: Trabalhe Trabalhe torne disso uma disputa!

Então meu cidadão, lute para parar de almejar,

esse burguês que fala merda e te tira do teu lugar!

Juntos vamos estar,

até o último dia raiar e a guerra começar,

a não ser que da consciência todos nós humanos possamos provar.

Clara Strack.

Texto da "Sociedade dos poetas vivos".

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: