Novidades, pequenos leitores!

Você sabe o que tem que fazer se você quiser ver uma baleia? E você sabe o que acontece em Belém no segundo domingo de outubro; em Porto Alegre em setembro; e, em Salvador no segundo domingo depois do Dia de Reis? Você já se perguntou se o mundo começou em um dia primeiro de janeiro? Contar de um até dez você sabe, mas você sabe como o macaco conta? E o que tudo isso tem haver com esse patinho aí?

Saiba tudo isso e muito muito mais com os novos livros da Biblioteca Zilah Totta!

 


marora e deolino

MAROCA & DEOLINDO E OUTROS PERSONAGENS EM FESTAS
autor: Andre Neves
editora: Paulinas

Maroca e Deolindo apresenta uma viagem pelo Brasil marcada pelo calendário festivo, em que o autor, para contar uma história, se apoia no espaço e tempo de uma festa regional. Seja um conto de amor, de casamento, de fé ou de sonhos, André busca costurar poesia e reflexões, ancoradas no barco das tradições folclóricas. São 12 festas que servem de palco para os contos – Festa do Senhor do Bonfim, em Salvador; Carnaval no Recife; Procissão do Fogaréu, em Goiânia; Marabaixo, em Macapá; Cavalhada, em Pirenópolis, Goiás; São João, em Campina Grande, Paraíba; Festa do Sairé, em Santarém, no Pará; Romaria de Bom Jesus da Lapa, em Bom Jesus da Lapa, na Bahia; Semana da Farroupilha, é em Farroupilha, em Porto Alegre; Círio de Nazaré em Belém do Pará; Festa de São Benedito e Nossa Senhora do Rosário, em Paraty-RJ e Natal.


se você quiser ver uma baleia

SE VOCÊ QUISER VER UMA BALEIA
autor: Julie Fogliano
editora: Pequena Zahar

Se você quiser ver uma baleia vai precisar saber para onde não olhar: rosas cor-de-rosa, pelicanos, possíveis piratas. Se você quiser ver uma baleia vai precisar manter os olhos no mar e esperar esperar esperar Aclamado pela crítica e pelo público, o best-seller internacional Se você quiser ver uma baleia é um livro delicado e especial, com texto e ilustrações apaixonantes de Julie Fogliano e Erin E. Stead, que nos convida a sonhar acordados. O livro integra o selo infantojuvenil Pequena Zahar.


macaquice.jpg

MACAQUICE
Autor: RIBEIRO, NYE
Editora: RODA & CIA

Na árvore dos passarinhos havia dez macaquinhos. De um em um, eles vão se distraindo com alguma coisa e saltando da árvore. Mas nada como uma gostosa surpresa no final da história! De forma poética e divertida, a autora e a ilustradora brincam com os numerais de um a dez. Com letra bastão.


como começa

COMO COMEÇA?
autor: Silvana Tavano
editora: Callis

Será que o mundo começou num dia 1º de janeiro? E o mar, começa ou acaba na areia? E uma amizade, como é que começa? Silvana Tavano mostra que cada coisa começa de um jeito e cada jeito leva as coisas para um lugar: a partir daí, surgem as perguntas que conduzem o pequeno leitor pelos caminhos da curiosidade. Mais do que respostas, as dúvidas da personagem transformam a reflexão numa gostosa brincadeira. Instigando a curiosidade e a reflexão, os versos deste livro propõem indagações simples mas repletas de mistério, como as questões que as crianças costumam fazer.


mundo mágico dos números

O MUNDO MAGICO DOS NÚMEROS
autor: Jung Sun-Hye | Jeon In-Kang
editora: Callis

Você já reparou como cada número tem sua forma parecida com alguma outra coisa? Esta história ensina a criança a desenhar os números e a memorizar sua formas. Além disso, o livro apresenta a sequência numérica de 1 a 10. Venha conhecer o mundo mágico dos números! Brincando é possível aprender a identificar e a traçar todos os algarismos! Os livos da coleção TanTan ensinam conceitos matemáticos para crianças, por meio de histórias divertidas. O mundo mágico dos números ensina a reconhecer e a desenhar as formas dos algarismos.


patinho culpado

O PATINHO CULPADO
autor: Silvana Tavano
editora: Caramelo

Ser um patinho feio não é nada legal… Mas ser um dos irmãos bonitinhos dele também não é tão bom assim. Afinal, quem ia gostar de ver um familiar tão próximo sendo desprezado e andando por aí todo jururu? Na certa, você também se sentiria culpado. É a partir desse ponto de vista que Silvana Tavano reconta “O patinho feio”, uma história escrita por Hans Christian Andersen em 1843, mas que ainda nos diverte e emociona com seus “quacs” de sabedoria.


bicho-papao pra gente pequena e grande

BICHO-PAPÃO PRA GENTE PEQUENA, BICHO-PAPÃO PRA GENTE GRANDE
autor: Sonia Travassos
editora: Rocco Jovens Leitores

Todo mundo já ouviu falar em Bicho-papão. E sabe que ele, assim como a Cuca, a Cabra-cabriola, o Papa-Figo e outros monstrengos assustadores, é muito eficiente em algumas situações, como por exemplo na hora de dormir (Quem não se lembra da clássica “Dorme nenê, que a Cuca vai pegar…”). Mas alguém conhece o Mão de sopa? E o Nó de escova e o Monstrengofone? E que tal o Sono-papão? Será que estamos diante de uma nova geração de monstros?!

De acordo com o livro Bicho-papão pra gente pequena, Bicho-papão pra gente grande, da educadora e contadora de histórias Sônia Travassos, parece que sim. Mas os novos monstrengos de arrepiar não assustam criancinha. Pelo contrário, fazem parte do acervo infantil criado para assustar gente grande. Afinal, cansada de aturar a coleção de bichos-papões da mãe sempre que a filha insiste em lhe desobedecer, a menina resolveu criar a sua própria coleção para contra-atacar na hora em que os pais a obrigam a fazer alguma coisa de que ela não gosta.

O livro é dividido em duas partes. Primeiro, a mãe descreve os bichos-papões mais conhecidos do imaginário popular. Fazem parte da coleção o Homem do Saco, sempre requisitado quando a criança quer sair sozinha; a Cabra-cabriola, que entra pela janela dando cambalhotas para pegar os mais desobedientes; o Papa-figo, que some com crianças mentirosas; o Quibungo, que está sempre à procura dos mal-educadinhos, e muitos outros tão assustadores quanto.

Na Segunda parte, é a vez da filha apresentar os seus monstrengos. A coleção começa com o Xicama, com seus super-raios xixilentos, que “serve pra apavorar a minha mãe quando ela teima que eu tenho que fazer xixi antes de dormir”, diz a menina; Já o Mão de sopa chega sempre que a mãe a obriga a comer toda a sopa de legumes, faz uma careta horrível e sai montado numa abobrinha voadora pela cozinha; O Nó de Escova é um monstro que pula de dentro da escova quando a mãe está desembaraçando o cabelo da filha e começa a soprar e a bufar tanto que o cabelo da mãe é que vira um verdadeiro nó! Mas tem também o Monstrengofone, o Senhor da meia-noite, o Castevê e o Mão babada, provando que a coleção da filha não deixa nada a desejar em relação à da mãe.


olha a onda

OLHA A ONDA!
autor: Kwame Alexander
editora: Brinque Book

Numa bela manhã de sol, Cara quer ir à praia surfar com seu amigo Bro, mas, para seu espanto, Bro está tão entretido com um livro que prefere terminar a leitura primeiro. Porém, durante o caminho, o entusiasmo e o envolvimento de Bro com o livro instigam Cara a ponto de ele querer ler também. Neste livro, ficção e realidade se misturam perfeitamente, numa divertida homenagem ao prazer da leitura e à imaginação.


a lógica do macaco

A LOGICA DO MACACO
autor: Anna Flora
editora: Editora 34

O macaco Matias tem um jeito muito próprio de pensar. Quando encontra um livro de problemas matemáticos que fala em amoras, mel e laranjas, ele não pensa em fazer contas, mas sim uma salada de frutas! No Reino Sem Solução, onde um rei autoritário guarda todo o dinheiro para si e mantém a população em péssimas condições de vida, a lógica do macaco Matias fará dele um verdadeiro herói.


pippi meialonga

PIPPI MEIALONGA
autor: Astrid Lindgren
editora: Companhia das Letrinhas

Píppi é uma menina de nove anos incrivelmente forte. Não tem pai nem mãe e mora sozinha, mas feliz da vida. Seus companheiros são um cavalo e um macaquinho. Destemida e sapeca, Píppi tem sempre uma resposta na ponta da língua e demonstra grande confiança em si mesma. Dá uma surra em cinco meninos brigões, engana os policiais que querem levá-la para um lar de crianças, põe dois ladrões para correr e enfrenta um touro a unha. Nada convencional, causa espanto e confusão por onde passa, seja na escola, no circo ou na casa de seus vizinhos. É, enfim, uma menina que realiza sonhos de liberdade e aventura.


pippi nos mares do sul

PIPPI NO MARES DO SUL
autor: Astrid Lindgren
editora: Companhia das Letrinhas

Píppi Meialonga, a menina de tranças ruivas espetadas e rosto sardento, é a pessoa mais famosa de sua pequena cidade, a tal ponto que sua casa, chamada Vila Vilekula, apesar de estar caindo aos pedaços, transformou-se em ponto turístico, ao lado do Museu de Arte Popular e do Túmulo Viking.

Em Nos mares do Sul, tão logo a histórica começa, ela põe para correr um “senhor distinto”, que pensa em comprar a Vila Vilekula. Depois, ela desanda a falar e inventar histórias (uma de suas especialidades) para curar o nervosismo de uma senhora idosa, e ataca um de seus alvos preferidos – a escola – com sua metralhadora verbal e irônica.

Píppi recebe então uma carta do pai, o rei dos canibais da ilha de Currecurredutina, em que ele anuncia que vem buscá-la para conhecer seus domínios. Acompanhada pelos amigos Tom e Aninha — as crianças “normais” que a adoram — Píppi embarca numa aventura rumo ao paraíso tropical do sul do Pacífico. Esta edição está recheadas de novas ilustrações, da sueca Ingrid Nyman, as mesmas usadas na primeira publicação deste clássico.


uma velhinha de óculos...

UMA VELHINHA DE ÓCULOS, CHINELOS E VESTIDO AZUL DE BOLINHAS BRANCAS
autor: Ricardo Azevedo
editora: Companhia das Letrinhas

Nessa história, seis amigos que moram na mesma rua vêem uma senhora velhinha sair de casa. Não sabem nada sobre ela, a não ser uma ou outra coisa que pode ser observada à distância. Sabem, por exemplo, que a velhinha às vezes sai de casa acompanhada de um velhinho de nariz meio torto e que eles vão andando pela rua, nos fins de tarde em que não chove nem faz frio. E o que mais?Na falta de informações objetivas, cada um dos seis amigos imagina como é a velhinha, que tipo de vida ela leva, o que fez quando era moça, como passa o tempo dentro de casa etc. Cada um conta a sua versão da história, isto é, embora todas elas tenham pontos em comum, nenhuma se repete, nenhuma é igual à outra. Para um dos amigos a velhinha parece uma escritora de livros infantis; para um outro ela é dona de casa; para um terceiro, tem cara de atriz. Cada um deles tem um modo de ser e de imaginar; cada um deles tem um ponto de vista – e é por isso que uma mesma velhinha pode parecer tantas coisas ao mesmo tempo.


 

Sinopses coletadas no site da Livraria Travessa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: