Máquina do tempo? Colher que some?! Isso é ciência?

Leitores curiosos, adoradores dos mistérios da Ciência, encontram-se em casa na Biblioteca Zilah Totta, pois acham em suas estantes livros interessantíssimos. Veja alguns deles abaixo.

 

a colher que

A COLHER QUE DESAPARECE: E OUTRAS HISTORIAS REAIS DE LOUCURA, AMOR, MORTE A PARTIR DOS ELEMENTOS QUÍMICOS
autor: Sam Kean
editora: Zahar

Um passeio pelas mais surpreendentes histórias envolvendo a descoberta, o uso e a criação dos 118 elementos químicos da tabela periódica. Uma colher que desaparece quando colocada no chá quente, uma bizarra corrida pelo ouro causada por um elemento (telúrio) que tem cheiro de alho, um poeta que enlouqueceu ao ingerir lítio para se tratar de uma doença. Esses são alguns dos misteriosos casos que Sam Kean conta para explicar com clareza os conceitos científicos e narrar de maneira saborosa casos engraçados e aterradores sobre os átomos que nos cercam.

Pelo caminho, o autor aborda a história dos avanços científicos, desde a descoberta do átomo até a criação de elementos artificiais, passando pela invenção da tabela periódica e pelo estudo da radioatividade. Mostra também como a vida humana se modificou devido ao cobre (usado em moedas por ser “autoestéril”), ao silício (utilizado na revolução da informática) e ao urânio (um dos grandes responsáveis pela bomba atômica). Uma narrativa envolvente que nos guia através dos segredos dos elementos químicos.

A propósito: a colher que desaparece é feita de gálio, elemento 31 da tabela periódica, metal com a estranha propriedade de ficar no estado líquido acima de 29ºC, temperatura inferior à de qualquer cafezinho.

 

a máquina do tempo

MAQUINA DO TEMPO: UM OLHAR CIENTIFICO
autor: Mario Novello
editora: Zahar

“Por que não podemos voltar ao passado?” Esta questão pairou durante muito tempo sobre a cultura ocidental, sem que uma resposta racional, simples e convincente nos fosse concedida.

Em Máquina do tempo, o físico Mário Novello apresenta como os cientistas, com o auxílio da teoria da gravitação de Einstein (a chamada Relatividade Geral), têm equacionado o problema.

O autor realiza a delicada tarefa de tornar a resposta a essa questão compreensível para um público de não-especialistas. E exerce com brilhantismo uma dupla função: informar aos leitores que não são físicos o estado atual de nosso conhecimento sobre viagens não-convencionais no tempo; e produzir um inventário crítico capaz de fornecer aos estudiosos do assunto um roteiro para análises mais aprofundadas.

“Mário Novello é um cientista e, como tal – entre a sofisticação da matemática e as alternâncias do movimento da física, por exemplo – se apropria de curvas do tempo que violam nossas certezas, que envolvem a questão temporal: a de que um corpo só pode viajar para o futuro afastando-se do passado. À diferença do pensamento antigo, que subjugava o tempo às variáveis do movimento, existem curvas aceleradas que tornam possível a um observador que se movimente sobre elas retornar ao passado.

Uma série crescente de dificuldades teóricas liberta o tempo – afirma o pensador moderno Mário Novello, com seu sonho de um Universo centrado, labirintos de luz, para uma viagem quase sem fim do espírito, em que círculos e demonstrações da matemática misturam-se com o desejo do tempo, com o desejo de tempo puro, um pouco de tempo puro.”

(Texto do filósofo Cláudio Ulpiano)

 

a realidade não é o que parece

A REALIDADE NÃO E O QUE PARECE: A ELEMENTAR ESTRUTURA DAS COISAS
AUTOR(A): Carlo Rovelli
EDITORA: Objetiva

O espaço e o tempo realmente existem? De que é feita a realidade? De onde vem a matéria? O cientista Carlo Rovelli passou a vida inteira investigando essas questões, tentando ampliar os limites do que sabemos. Em A realidade não é o que parece, ele revela como nossa compreensão da realidade mudou ao longo dos séculos, de Demócrito à gravidade quântica em loop. Rovelli nos guia por uma jornada maravilhosa e nos convida a imaginar um mundo completamente novo onde os buracos negros estão esperando para explodir, o espaço-tempo é feito de grãos e o infinito não existe — um vasto universo amplamente desconhecido.

 

de que é feito o universo

DE QUE E FEITO O UNIVERSO?
autor: Richard Panek
editora: Zahar

Só 4% do Universo são compostos pela matéria que forma as coisas, as pessoas, tudo o que podemos ver. Bem, e o resto? O resto é matéria escura e energia escura-até agora ninguém sabe o que é isso.

A história dessa revelação fantástica é o que nos conta aqui o jornalista Richard Panek. Cientistas se digladiam por mais tempo nos telescópios, por verbas de pesquisa, e em última instância, por um Nobel. Nesse ínterim, o leitor compreenderá um dos problemas mais intrigantes da ciência – de que é feito o Universo?- enquanto torce, se surpreende e se deleita com episódios mais do que humanos da pesquisa científica.

 

o poder do pensamento

O PODER DO PENSAMENTO MATEMÁTICO: A CIÊNCIA DE COMO NÃO ESTAR ERRADO
AUTOR(A): Jordan Ellenberg
EDITORA: Zahar

Quando será que vou usar isso? Esta é a pergunta clássica de nove entre dez alunos às voltas com cálculos, fórmulas e equações. Para muitos, a matemática que aprendemos na escola é algo totalmente abstrato. O matemático Jordan Ellenberg mostra, porém, que a matemática está em todo lugar e se relaciona com questões do nosso cotidiano.

Com humor e irreverência, Ellenberg aborda de modo simples e claro os conceitos mais complicados, sem os jargões próprios da área. Nada escapa desse amplo mosaico: o resultado das eleições presidenciais, o futuro da obesidade, a pintura renascentista italiana, o que o Facebook sabe (e o que ele não sabe) a seu respeito e até mesmo a existência de Deus.

A matemática é a ciência de como não estar errado e nos ajuda a pensar melhor – aguça a intuição, afina a capacidade de julgamento, doma a incerteza e é uma ferramenta eficaz para entendermos o mundo de maneira mais profunda e consistente.

 

os botões de napoleão

OS BOTOES DE NAPOLEÃO: AS 17 MOLÉCULAS QUE MUDARAM A HISTORIA
AUTOR(A): Jay Burreson; Penny le Couteur
EDITORA: Zahar

Será que podemos explicar o fracasso da campanha de Napoleão na Rússia, em 1812, por algo tão insignificante quanto um botão? Quando exposto a temperaturas baixas, o estanho se esfarela, e todas as fardas dos regimentos de Napoleão eram fechadas com botões feitos desse material. Com estilo cativante, temperado com diversas histórias curiosas, a professora de química Penny Le Couteur e o químico industrial Jay Burreson fazem uma fascinante análise de 17 grupos de moléculas que, como o estanho daqueles botões, influenciaram o curso da história. Essas moléculas produziram grandes feitos na engenharia e provocaram importantes avanços na medicina e no direito. Além disso, determinaram o que hoje comemos, bebemos e vestimos. Ao revelar as espantosas conexões químicas que unem eventos aparentemente não relacionados, os autores esclarecem que – Por causa da química, a colônia Nova Amsterdã tornou-se Nova York; Um contratempo na limpeza da cozinha com um avental de algodão resultou no desenvolvimento dos explosivos modernos e da indústria cinematográfica; A ânsia dos europeus pela cafeína – um alcalóide que vicia – levou à Revolução Chinesa; Foi um laboratório químico que, em busca de um analgésico potente, criou a heroína.

 

a história do corpo

A HISTORIA DO CORPO HUMANO: EVOLUÇÃO, SAÚDE, DOENÇA
autor: Daniel E. Lieberman
editora: Zahar

Professor de biologia evolutiva humana na Universidade Harvard, Lieberman conduz o leitor por uma fascinante viagem através da evolução humana e fornece as chaves para compreendermos melhor a adaptação de nosso corpo em relação às mudanças pelas quais nossa espécie vem passando, tais como: o surgimento do bipedalismo; a mudança para uma dieta não baseada em frutas; o advento da caça e da coleta; o desenvolvimento de um cérebro muito grande, com corpos maiores e capacidades únicas para cooperação e linguagem.

Ele mostra como os avanços do mundo moderno estão criando um paradoxo: se por um lado temos maior longevidade hoje, de outro estamos vivendo uma onda de doenças e males crônicos evitáveis – como obesidade, certos cânceres, diabetes tipo 2, doenças cardíacas e renais, depressão e até mesmo miopia, dores lombares e pés chatos.

O autor afirma que podemos mudar esse quadro com ajuda da teoria evolutiva e propõe caminhos para uma vida mais saudável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: